Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Slim By Design # Quer perder 10 quilos num ano sem andar obcecado com calorias, açucares e gorduras?

por Diário de uma Magra by Dinora Bastos, em 29.01.15

 

brian wansink.jpg

 

Quer perder 10 quilos num ano sem andar obcecado com calorias, açucares e gorduras?

Brian Wansink explica!

 

Brian Wansink é nutricionista e economista do comportamento. Dirige o Laboratório Food and Brand, da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, e diz que os seus colaboradores perdem em média 10 quilos só no primeiro ano de trabalho ao pôr em prática o que descobrem nas investigações.

 

Wansink começou a investigar a relação entre comportamento, marketing e peso em 1987 e é o mentor de conceitos como as doses individuais de chocolates e cereais, que diz induzirem as pessoas a comer menos sem darem por isso – o segredo da sua dieta. Publicou agora um manual com dicas para um estilo de vida mais amigo da linha, inspirado nos “hábitos inconscientes” das pessoas mais magras, que tem vindo a observar.

 

O especialista em comportamento alimentar defende que a maioria das pessoas conseguem perder peso sem terem de viver angustiadas por não poderem comer chocolate e batatas fritas. Bastam truques simples, como torná-los menos visíveis ou um makeover na cozinha: eliminar bolachas e cereais da bancada e mudar a forma como habitualmente serve as refeições.

 

No seu livro “Slim by Design”  há muito mais dicas, da maneira como escolhemos a mesa do restaurante às compras no supermercado.

 

Brian Wansink afirma que a diferença entre o fracasso e o sucesso em uma dieta está em pequenas mudanças que as pessoas podem fazer ao seu redor.

 

Você não precisa de tanta força de vontade para ter sucesso em uma dieta quanto lhe fizeram pensar.

Isso é o que afirma o Dr. Brian Wansink, da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos.

Segundo ele, a diferença entre o fracasso e o sucesso em uma dieta está em pequenas mudanças que as pessoas podem fazer ao seu redor.

A ideia que é que essas mudanças induzam a pessoa a comer de forma saudável, sem precisar pensar nisso ou ter que se esforçar para isso.

 

Mudanças no ambiente

"Nossas casas estão cheias de armadilhas de comida escondidas," disse Wansink durante a convenção anual da Sociedade Americana de Psicologia.

"A maioria de nós tem um caos nas nossas vidas para sermos capazes de, conscientemente, focarmos em cada mordida que damos e nos perguntarmos se ainda estamos com fome.

"O segredo é mudar o nosso ambiente para que ele trabalhe por você, e não contra você," afirmou.

E as mudanças começam pelo tamanho dos pratos e outros recipientes usados para comer.

 

Vasilhas que aumentam o apetite

As pesquisas mostraram que uma pessoa que compra o pacote maior de pipoca (extra-grande) no cinema consegue comer 45% mais pipocas do que quem compra "apenas" o tamanho grande.

E crianças, de diversos pesos e diversas idades, que comem cereais numa malga grande comem até o dobro que as crianças que usam uma tigela menor.

Os cientistas também pesquisaram esse comportamento com relação aos líquidos: quem usa um copo baixo e largo toma até 37% mais refrigerante do que quem usa copos altos e finos.

Todas as pesquisas tomaram por base o desejo dos participantes em parar de comer, ou seja, quando eles se sentiam satisfeitos - usar recipientes maiores parece aumentar o volume necessário para que as pessoas se sintam satisfeitas e parem de comer.

 

Quando parar de comer

Em outro estudo impressionante, Wansink desbancou o mito de que as pessoas sabem quando estão satisfeitas e param de comer antes de ficarem empanturradas.

Os pesquisadores fizeram um experimento no qual voluntários que gostam de sopa foram divididos em dois grupos.

O primeiro grupo sentou-se frente a uma tigela de sopa grande, com capacidade para 610 gramas de sopa.

O segundo grupo recebeu uma tigela "especial": ela não tinha fundo e, sem que os participantes percebessem, um sistema de ar comprimido localizado sob a mesa ia colocando um pouco mais de sopa na tigela conforme o voluntário ia comendo - a sopa baixava, mas mais lentamente.

As pessoas que se sentaram frente às tigelas sem fundo comeram 73% mais do que as pessoas com tigelas normais e, de forma surpreendente, não perceberam que haviam comido mais do que o normal.

"A lição aqui é: não confie em seu estômago para lhe dizer quando você está cheio. Ele pode mentir," disse Wansink.

 

Estratégias para uma dieta de sucesso

O pesquisador dá outras dicas para quem quer que suas dietas realmente deem resultado:

  • Deixe de lado os pratos comuns e passe a comer em pratos de salada
  • Mantenha os alimentos não-saudáveis guardados em vasilhas, fora de vista
  • Coloque os alimentos saudáveis bem à vista, sobre a mesa ou sobre o balcão da cozinha.
  • Nunca coma na frente da televisão

"Essas estratégias simples têm muito mais probabilidade de dar certo do que a força de vontade sozinha. É mais fácil mudar o ambiente do que mudar a sua mente," concluiu Wansink.

 

Slim-by-Design-Mindless-Eating-Sol.jpgLivro: “Slim by Design”



Fontes: Jornal i e Diário da Saúde

publicado às 10:56


Mais sobre mim

foto do autor



Detox Original! 10% Desconto com o código: DINORABASTOS


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog