Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"Olhos nos Olhos" # Olheiras # Parte I

por Diário de uma Magra by Dinora Bastos, em 15.08.14

"Olheiras... olheiras… malditas olheiras!”

 

As olheiras são, de facto, um drama para muitas mulheres.

 

Pedi ao meu “médico de serviço” e amigo :) Dr. Rodrigo para nos explicar afinal o que são as olheiras e como podem ser evitadas e/ou tratadas.

 

 

Ainda me lembro da minha avó em casa com pepinos gelados nos olhos no final do dia... E não era por causa da expressão “coma com os olhos"... Na verdade era a boa e velha sabedoria popular... O pepino (Cucumis Sativus) tem efeitos calmantes sobre a pele, e associado com o frio, promove melhoria temporária do aspeto da hiperpigmentação periorbicular constitucional, vulgo “olheiras”.

 

Hoje em dia, com a evolução da medicina, principalmente, na área da dermoestética, podemos contornar esse problema de forma mais profissional e duradoura.

 

A “olheira” é uma afeção multifatorial, muito prevalente na população geral, com distribuição muito similar entre os sexos e as raças e com aumento da incidência à medida que envelhecemos. E por ter mais que um fator predisponente, o tratamento combinado é o que produz melhores resultados.

 

É importante salientar que, a pele da região periorbital (ao redor dos olhos) chega a ser três vezes mais fina que o resto da face, e pela menor espessura, existe uma maior visualização dos vasos e maior facilidade de acumulo de líquidos intersticiais nesta região. Estas características peculiares desta zona condicionam a uma necessidade de tratamentos específicos, como por exemplo o uso de c remes “contorno de olhos”.

 

Também é importante ressaltar que o uso de corretivos e maquilhagem, apesar de efetivos na melhoria da aparência, servem apenas como uma solução temporária, sendo o ideal a correção dos fatores etiológicos para obter resultados duradouros.

 

Os principais fatores contribuintes ao aparecimento das “olheiras” são:

 

- Estilo de vida

. Uso de cigarros: gera radicais livres e toxinas danosas aos tecidos; 

. Ruim qualidade do sono: interfere na produção de hormonas e substâncias reparadoras da pele;

. Má alimentação: carência nutricional com défice de macro e microelementos fundamentais para formação das estruturas de sustentação da derme e para reparação tecidual, assim como excesso de consumo de sal (que favorece a formação de edema palperal);

. “Stress” físico e mental: promove aumento da produção de óxido nitroso, substância com efeito vasodilatador e cortisol, hormona com efeito catabólico no organismo.

 

- Hereditariedade

Determina as características da pele e da estrutura óssea da região periorbicular, assim como a existência de maior translucidez da epiderme palpebral.

 

- Alergias

Pacientes atópicos tem maior tendência à fricção repetida provocada pelo prurido na região ocular, assim como a formar edema e pigmentação pós-inflamatórias nesta zona.

 

- Medicação

O uso de substâncias vasodilatadoras, hormonas, antipsicóticos, quimioterápicos e alguns colírios, estão associados à maior prevalência desta afeção.

 

- Idade

Com o passar dos anos existe um adelgaçamento da pele e uma perda progressiva das estruturas de sustentação das camadas dérmicas, o que resulta num maior sombreamento local, resultado da flacidez tecidual, e uma maior facilidade de formação de edemas.

 

Dr. Rodrigo Ayoub

Especialista em Medicina Estética e Dermocosmética

 

 

Não perca a Parte II desta matéria que lhe vai dar toda a informação sobre os tratamentos que existem no mercado.

Fique atento e acabe com os "olhos de panda" :)

 

publicado às 16:00



Mais sobre mim

foto do autor



Detox Original! 10% Desconto com o código: DINORABASTOS


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Pesquisar

  Pesquisar no Blog